sábado, 21 de maio de 2011

sábado, 14 de maio de 2011

Hoje fui ao teatro ver...

Baseada em um trabalho de Jorge Amado, esta peça conta a história do amor impossível entre um gato malhado e uma bonita andorinha em um espetáculo que mestra canções, humor e lirismo. Com a Cia. Grupo 59.
* Acabo de ver o espetáculo e a música continua na minha cabeça... parabenizo todos os atores pelo excelente trabalho de corpo, belas canções e direção. Lindo espetáculo que com certeza recomendo!
Merda e sucesso a todos !!!

quarta-feira, 11 de maio de 2011

quinta-feira, 5 de maio de 2011

.Conquista.

Dia 5 de maio vai entrar para a história por ser o momento em que o Brasil mostrou-se ainda mais perto de ser  uma verdadeira democracia e um país de direitos iguais. Nesse dia, o Supremo Tribunal Federal aprovou a união estável para casais homossexuais.Com isso, os cerca de 20 milhões de LGBT do país passam a ter suas relações amorosas regidas e protegidas por lei. A partir de agora,  homossexuais ganham vários direitos, dentre eles:
- adotar crianças e adolescentes,
- receber herança do companheiro,
- receber pensão alimentícia,
- unir-se com separação de bens.
Uma coisa não muda, explica advogada especialista em direito homossexual, Cynthia Barcellos. “O estado civil não muda com a união estável. São dois solteiros unidos. Só o casamento muda esse qualificativo.” Além disso, só nesse tipo de união se pode utilizar o sobrenome do companheiro.
Bom, se depender da possibilidade de homossexuais se casarem, esses impedimentos podem não durar muito. Em entrevista ao ParouTudo, o presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLBT), Toni Reis, disse que na segunda-feira 9, a entidade iniciará luta para que homossexuais possam se casar.
“Quem ganha com a aprovação da união estável é o Brasil, a democracia. Mas vamos além. Queremos igualdade real. E isso só se dá com o casamento, nossa próxima bandeira.”
E comemoremos! Não é o fim da luta por igualdade nem por respeito, mas tivemos um grande passo. O amor, o desejo e família LGBT são reconhecidos pelo Estado brasileiro.
*Texto: Welton Trindade para o site paroutudo.com

segunda-feira, 2 de maio de 2011

hoje fui...


6 BILHÕES DE OUTROS
O projeto mobilizou uma dezena de repórteres que percorreram 78 países recolhendo a palavra de homens e mulheres. Foram cinco anos para realizar 5.600 entrevistas, depois selecionadas e editadas sob comando dos diretores Sibylle d’Orgeval e Baptiste Rouget-Luchaire.
Compor um retrato sensível, representativo e respeitoso das pessoas entrevistadas e oferecer esses testemunhos ao maior número de pessoas era o objetivo. 
 Imagens coloridas de alta qualidade técnica mostram um tecido da diversidade cultural do planeta através de rostos, idiomas, marcas faciais e adereços. Essa abordagem direta cria o laço de intimidade e identificação, mostrando porque o maior espetáculo para o ser humano é o próprio ser humano. Narrativas de todos os cantos da Terra se sobrepõem e se ombreiam, capturam e encantam a atenção do espectador, mostrando em que somos idênticos e diferentes.
A exposição
Uma seleção com cerca de 11 horas de depoimentos em vídeos poderão ser vistos em diferentes ambientes do MASP. No Mezanino, projeções de rostos compõem um painel de múltiplas identidades e os visitantes poderão assistir ao filme Mosaico, marca do projeto que através de uma grande projeção em quatro paredes põe em evidência uma alternância de retratos e depoimentos sobre as experiências e visões de mundo de cada um.
No Hall, de modo mais intimista – dentro de oito yurts (tipo de tenda inspirada nas habitações dos nômades mongóis), lugares propícios à confidência – poderão ser vistos filmes com depoimentos sobre temas como amor, família, felicidade, casa, pais, desafios, perdão, sonhos, clima, progresso, etc. O visitante aprox ima-se de pessoas que, provavelmente, nunca teria a possibilidade de encontrar – e neste contexto é transportado pela emoção e reflexão. A confrontação dessas vozes tão diversas evidencia divergências, mas também proximidades de pensamento, muitas vezes surpreendentes. O filme com o making of da exposição, que atrai especial atenção do público, terá uma sala exclusiva para sua exibição. Em outra sala será apresentado um vídeo especialmente criado para o projeto, realizado em São Paulo pelos artistas Lucas Bambozzi e Kika Nicolela.


A exposição 6 bilhões de Outros, em números:
3,5 milhões já viram a exposição desde janeiro de 2009
5.600 entrevistados
78 países visitados
5 anos de filmagem
40 mesmas questões postuladas a cada um dos entrevistados
15 questões suplementares sobre a problemática da mudança climática
50 línguas (sem contar os dialetos)
11 horas de testemunhos no MASP
500 testemunhos no catálogo da exposição
150 programas curtos de televisão, de 2 minutos cada, difundidos em mais de 20 países
13 documentários temáticos em difusão televisiva em uma centena de países