sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Hoje fui ao teatro ver...


Usando o pretexto da licantropia clínica, doença que faz a pessoa acreditar que é um cão, peça que discute o efeito do dinheiro nas relações, o machismo e a situação da mulher contemporânea. licantropia clínica é uma doença, raríssima, pesquisada pelo médico suiço Christian Scharfetter. É detectada principalmente em casos de transtornos afetivos e esquizofrenia.Repentinamente, o ser humano passa a se comportar como um cachorro.


Mas, o que fazer quando o seu marido, subitamente, torna-se um cão? Essa é uma das questões que move a peça
 Cão, em cartaz  no Sesc Consolação.
Enredo: A protagonista, empresária bem sucedida, teme que o comportamento canino do marido afete sua imagem. Mas, conforme a situação vai ficando cada vez mais extrema, ela convida a plateia para compartilhar de sua história, como forma de obter aprovação para a solução que pretende adotar.
* Na teoria a ideia até parecia ser boa mas na prática não funcionou, faltou uma direção melhor dos (bons) atores, no início prendia a atenção mas com o passar da trama ia ficando uma historia sem interesse e a plateia ficava incomodada com aquela sensação de "não acaba nunca".

Um comentário:

Gilson disse...

Situação difícil essa heim.......
Eu não queria virar um cão...rs.rs.